Connect with us

Geral

No Maravista, moradores vivem à espera do asfalto prometido

Moradores se queixam da falta de infraestrutura no bairro, apesar de pagarem o IPTU mais caro em valores per capita do estado

Publicado há

no dia

Avenida Prefeito Altivo Linhares. Homem empurra bicicleta entre bolsões d'água próximo ao Horto Municipal. Foto: Thiago Freitas
Avenida Prefeito Altivo Linhares. Homem empurra bicicleta entre bolsões d'água próximo ao Horto Municipal. Foto: Thiago Freitas

Pode até parecer um título de filme dramalhão, mas longe da ficção cinematográfica os moradores do loteamento Maravista, em Itaipu, convivem com uma dura realidade há anos: ruas sem pavimentação, completamente esburacadas e que, em dias de chuva como esta quinta-feira (4/01), se transformam num completo lamaçal. Tudo isso em vias de acesso que ficam próximas ao mais ambicioso projeto urbanístico já feito na Região Oceânica, a Transoceânica.

É o caso da Avenida Prefeito Altivo M. Linhares. Quem precisa transitar pela via todos os dias para chegar em casa afirma que é um sofrimento, tanto para quem anda a pé como de carro. É o caso do advogado José Tavares, 70 anos, morador do bairro há pelo menos 15.

— Se saímos a pé, são os sapatos e a barra da calça que saem sujos. Quanto aos carros, não tem suspensão e amortecedor que aguente. Tem sempre um prejuízo para pagar na oficina devido a essa buraqueira. Não era para ser assim, tendo em vista o valor do IPTU que pagamos aqui — afirma José, informando que a cobrança total do imposto para este ano de 2018 foi de R$ 794,39.

José Tavares exibe boleto do IPTU, neste ano no valor de R$ 794,39. Foto: Thiago Freitas.

José Tavares exibe boleto do IPTU, neste ano no valor de R$ 794,39. Foto: Thiago Freitas.

Outra rua que apesar de pavimentada apresenta sinais de falta de manutenção é a Dr. Pálvaro da Silva. Uma concentração de crateras e alagamento no trecho de esquina com a Avenida Professora Romanda Gonçalves coloca motoristas em risco, especialmente motociclitas. Esta última, encontra-se em fase de conclusão das obras de pavimentação, drenagem e urbanização, orçadas em quase R$ 20 milhões. A avenida possui três quilômetros de extensão, ligando o bairro do Engenho do Mato ao Maravista. Para o secretário municipal de Obras, Vicente Temperini, a via terá fundamental importância depois de concluídas as obras, pois a expectativa é de que ela receba boa parte do fluxo de veículos, desafogando a Avenida Central, que é paralela a esta.

Outras ruas como Adalgisa Monteiro — que recebeu asfalto recentemente apenas do trecho da Avenida Ewerton Xavier (antiga Avenida Central) até a Romanda Gonçalves — e a Professora Angeolina Petrópolis se encontram em situação crítica, com formação de bolsões d’água que impedem até mesmo a passagem de alguns carros em caso de chuvas mais fortes.

Morador do bairro há 15 anos, o operador de aeroporto Edson Garcia, 41, diz que cansou de ouvir a promessa de diferentes governos de pavimentação do Maravista.

— Até me surpreendeu terem asfaltado a Romanda Gonçalves, porém tem todas essas outras ruas precisando de asfalto. O morador daqui vive numa situação difícil e pagando um IPTU caro. Continuo esperando o dia que isso vai mudar — disse Edson.

Já o entregador Alexandre Soares, 47, diz que vive tendo prejuízo com sua Kombi, com a qual trabalha realizando entregas de supermercado e fretes:

— São dois anos que trabalho nisso aqui e quando tenho algum serviço para dentro dessas ruas já fico apreensivo. As condições delas são um absurdo.

O entregador Alexandre Soares. Foto: Thiago Freitas

O entregador Alexandre Soares. Foto: Thiago Freitas

IPTU mais caro do estado

O niteroiense paga o IPTU mais alto em valores per capita entre os 92 municípios do estado. É o que afirma o anuário “Finanças dos municípios fluminenses” de 2015, publicado pelo governo do estado. Em média, segundo o relatório, o morador de Niterói pagou R$ 469,82 pelo imposto naquele ano. A cidade aparece como segunda maior arrecadadora de IPTU no estado, ficando atrás apenas da capital no ranking.

Naquele ano, a prefeitura de Niterói recolheu R$ 232.783.998,6. Apesar disso, reclamações como as de José, Edson e Alexandre ainda indicam que o dinheiro não retorna em serviços satisfatórios para grande parte da população.

Licitação à vista, diz prefeitura

Por nota, a prefeitura de Niterói informou que serão licitados os projetos executivos que beneficiarão o Engenho do Mato e Maralegre. Segundo a secretaria, “serão, aproximadamente, 435 vias contempladas, o que representa 75 quilômetros de obras.”

Ainda de acordo com a nota, foram publicados, em outubro de 2017, os editais de licitação para contratação dos projetos executivos para drenagem, infraestrutura, urbanização e pavimentação dos bairros Maravista, Serra Grande, Jacaré (Avenida Frei Orlando) e Santo Antônio.

Ainda sem uma data para início dessas obras, a prefeitura ressalta, contudo, que “em quatro anos e meio, a Região Oceânica teve o maior investimento de sua história, tendo sido investidos mais de R$ 100 milhões só em drenagem e pavimentação, beneficiando bairros como Cafubá, Fazendinha, Peixoto, parte de Piratininga, Camboinhas, Maravista e Maralegre”.

  • Avenida Prefeito Altivo Linhares. Homem empurra bicicleta entre bolsões d'água próximo ao Horto Municipal. Foto: Thiago Freitas

    Avenida Prefeito Altivo Linhares. Homem empurra bicicleta entre bolsões d'água próximo ao Horto Municipal. Foto: Thiago Freitas

  • José Tavares exibe boleto do IPTU, neste ano no valor de R$ 794,39. Foto: Thiago Freitas.

  • O entregador Alexandre Soares. Foto: Thiago Freitas

    O entregador Alexandre Soares. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Esmeralda Valladares. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Dr. Pálvaro da Silva com Avenida Professora Romanda Gonçalves. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Dr. Pálvaro da Silva com Avenida Professora Romanda Gonçalves. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Dr. Pálvaro da Silva com Avenida Professora Romanda Gonçalves. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Dr. Pálvaro da Silva com Avenida Professora Romanda Gonçalves. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Angeolina Petrópolis. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Angeolina Petrópolis. Foto: Thiago Freitas

  • Avenida Prefeito Altivo Linhares. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Dr. Pálvaro da Silva com Avenida Professora Romanda Gonçalves. Foto: Thiago Freitas

  • Rua Angeolina Petrópolis. Foto: Thiago Freitas

  • Avenida Prefeito Altivo Linhares. Homem empurra bicicleta entre bolsões d'água próximo ao Horto Municipal. Foto: Thiago Freitas
  • O entregador Alexandre Soares. Foto: Thiago Freitas

Jornalista, fotógrafo e escritor, 35 anos. Trabalhou nos jornais EXTRA e O GLOBO, tendo atuado também nos principais jornais do interior fluminense, como FOLHA DA MANHÃ, FOLHA DOS LAGOS e A VOZ DA SERRA. É autor do livro "Opinião e Crime – A história da prisão do jornalista Avelino Ferreira", publicado em 2013 pela Marka Editora.

1 Comentário

1 Comment

  1. Wil

    13 de Janeiro de 2018 at 00:33

    No Maravista a ver navios rs

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Instagram

Mais lidas