Connect with us

Meio Ambiente

Guarda ambiental de Niterói apreendeu mais de 3 mil caranguejos em dois meses

Fiscalização segue até 31 de dezembro, quando se encerra o período do defeso. Cerca de 150 guaiamuns foram reintegrados à APA de Guapimirim.

Publicado há

no dia

Caranguejos da espécia Uçá. Apreensões motivadas por denúncia ao número 153. Foto: Divulgação
Caranguejos da espécia Uçá. Apreensões motivadas por denúncia ao número 153. Foto: Divulgação

A Coordenadoria Ambiental da Guarda Municipal de Niterói apreendeu nos últimos dois meses, desde o início do período de defeso, em outubro, mais de 3 mil caranguejos que estavam sendo comercializados irregularmente na cidade. Os animais, da espécie Uçá, foram todos reintegrados à Área de Proteção Ambiental (APA) de Guapimirim, com o apoio de agentes do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade, que administra o local. Também foram reintegrados 150 guaiamuns, hoje considerados em extinção.

As ações de fiscalização continuam até o dia 31 de dezembro quando se encerra o período de defeso da fêmea. Os agentes da Guarda Ambiental atuaram em diversas situações. Em alguns casos a apreensão foi motivada por denúncia ao número 153 que atende no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) ou durante fiscalização e rondas de equipes, contando também com ajuda dos grupamentos especiais da Guarda Municipal.

O período de defeso de machos e fêmeas acontece nos meses de outubro e novembro. No mês de dezembro, somente as fêmeas estão no defeso, sendo proibida a sua captura e comercialização. Nesta fase, animais congelados inteiros, podem ser comercializados, com a devida apresentação de data estoque, emitida pelas autoridades competentes.

“Existem órgãos de fiscalização nos municípios de São Gonçalo, Itaboraí e Magé. Mesmo assim algumas pessoas ainda conseguem capturar os animais neste período e comercializar, levando para outras cidades. Em Niterói nós fazemos com frequência a fiscalização e vamos continuar. O defeso é o período em que os animais vão para o manguezal e se reproduzem. Se forem capturados antes, ocorre o desequilíbrio do ecossistema e pode chegar até a escassez ou extinção”, observou Edson Jorge coordenador da Guarda Ambiental de Niterói.

Fonte: (Ascom)

Clique para comentar

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha Digital

Advertisement
Advertisement
Advertisement

Mais lidas