Connect with us

Polícia

Distribuidora de gás suspende entregas por ameaças do tráfico de drogas

Após ter funcionários ameaçados, empresa suspendeu serviço de entrega de botijões em domicílio. Bandidos estariam cobrando propina

Publicado há

no dia

Distribuidora de gás suspende entrega por causa de ameaças do tráfico.
Comunicado em rede social retrata condição de reféns do medo de comerciantes e moradores da Região Oceânica

A escalada da violência na Região Oceânica de Niterói tem comprometido não só a tranquilidade dos moradores no seu direito de ir e vir, em decorrência dos constantes assaltos que se tornaram corriqueiros na localidade. Agora, a ação de traficantes vem impedindo, também, a prestação de serviços de empresas da região. No último dia 6, a publicação, em uma rede social, de uma distribuidora de gás de Itaipu, informando que decidiu suspender o serviço de entrega em domicílio, fez acender o alerta vermelho dos habitantes e das autoridades policiais.

De acordo com a empresa, a decisão foi tomada após um grupo de seus funcionários ser ameaçado, ao longo de meses, por traficantes de drogas que estão cobrando propina para que as distribuidoras possam atuar em bairros da região. Pelo menos por três vezes, profissionais chegaram a ser sequestrados pelos bandidos. Em caso recente, ocorrido na semana passada, um motorista foi ameaçado de ser queimado junto com o veículo da empresa.

“É o escárnio que está acontecendo na Região Oceânica de Niterói.”

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. O comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar (BPM), coronel Márcio Rocha,  informou que  está em contato direto com comerciantes da Região Oceânica para tentar regularizar a situação da segurança o mais rápido possível e que a PM está fazendo operações junto à 81ª DP (Itaipu) para tentar desarticular a quadrilha que atua na localidade. O comandante pede que a população colabora com qualquer informação que possa ajudar a localizar e prender os envolvidos. As denúncias, anônimas, podem ser feitas pelo telefone do disque-denúncia: 2253-1177.

O proprietário da empresa, que viu seu faturamento cair até 70% nos últimos meses, fez um desabafo:

— Os funcionários não estão trabalhando, não podendo trabalhar. A empresa com tributos altíssimos a pagar, e a população sem gás. É o escárnio que está acontecendo na Região Oceânica de Niterói.

Veja abaixo o comunicado:

“É com um profundo sentimento de revolta e pesar que comunico aos amigos e clientes da única revenda Liquigás da Região Oceânica legalizada que, a partir de hoje, só atendemos na portaria em horário comercial. Tivemos dois entregadores sequestrados e ameaçados de serem queimados junto com o carro da revenda, tudo isso por termos feito o boletim de ocorrência e, em função disso, achamos melhor encerrar o nosso trabalho de entrega em domicílio, trabalho que fazíamos com respeito e funcionários qualificados, trabalho esse que fazíamos há muitos anos e com o reconhecimento de todos os nossos clientes, mas a insegurança chegou ao extremo e não vamos arriscar a vida de trabalhadores, chefes de família. Vamos continuar atender na portaria. Gostaria de agradecer a todos os parceiros de tantos anos (cliente e funcionários). Essa é a situação em que se tornou o nosso país impedindo uma empresa séria de trabalhar e gerar empregos. Deixo nessas palavras toda a minha indignação. Por favor, compartilhem, divulguem e comentem, cabe a nós cidadãos de bem mudarmos essa realidade perversa na qual nos encontramos. Muito obrigado”.

Clique para comentar

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha Digital

Advertisement
Advertisement
Advertisement

Mais lidas